Eficiência na Produção: Como a tecnologia torna sua empresa mais competitiva.

Estudo de Caso real com cliente.

 

Localização: Estado de São Paulo.

Segmento: Componentes injetados de alumínio, usinagem e montagem.

Necessidade: Tornar a produção do Torno CNC mais eficiente, repetitivo e com previsibilidade, além de poder produzir fora além da jornada normal de trabalho.

Escopo do Projeto: Implementar uma Célula Robotizada para carregar e descarregar as peças da máquina.

Desenvolvimento do Projeto

Após estudar a necessidade do cliente, utilizamos de ferramentas de projeto 3D e virtualização robótica para validar toda a trajetória de movimentação do robô, bem como a performance da garra e layout detalhado da Célula Robotizada. 

Projetamos uma esteira modular para entrada das peças brutas, o que possibilitou uma autonomia de 2 horas de trabalho sem a necessidade da ação do Operador para carregar as peças brutas. Para saída das peças, projetamos um sistema onde a peça fosse retirada por gravidade. 

A garra do robô foi projetada para levar a peça bruta e também para retirar a peça já usinada de dentro da máquina, além de realizar sopro para limpeza dos cavacos presentes nas castanhas da máquina. 

A garra do robô também conta com um sistema para garantir o paralelismo da peça com a castanha da máquina no momento de sua colocação pelo robô.

Resultados alcançados

Após a implementação do robô no Torno CNC, observamos que era possível ter garantia do tempo de ciclo da máquina, pois um sistema robotizada trabalha sempre conforme sua programação, não havendo perda de tempo por falta ou ausência temporária de um Operador. Hou também uma redução no tempo de ciclo de 14%, o que trouxe uma eficiência direta na operação. Por tratar-se de um robô operando um torno, não existe a necessidade de uma mão de obra especializada para operar a máquina, pois ela estando com a receita criada, basta iniciar o ciclo contínua de trabalho. Outro ponto importante é o fato de não necessitar de um Operador por todo o seu tempo na máquina, pois ele pode dividir seu tempo de trabalho com outras máquinas ou operações no setor. A célula robotizada exigiu apenas a reposição das peças brutas de duas em duas horas, além de retirada das peças usinadas nesse mesmo ciclo de tempo. 

Isso também trás uma eficiência direta, pois um Operador é compartilhado com outras máquinas, trazendo repetibilidade, segurança e previsibilidade no ciclo de trabalho. 

Este é um grande exemplo de trabalho repetitivo que encontramos nas industrias. Com pouco investimento é sim possível robotizar uma operação como esta e obter os ganhos imediatos desta melhoria. 

Ao andar pelas pequenas e médias empresas brasileiras observamos a necessidade em gerar eficiência na redução de custos com mão de obra, garantir a repetibilidade na produção com qualidade, ter previsibilidade dos números e que o gestor consiga ter de forma online os indicadores da produção.

Após ler nosso estudo de caso, isso parece uma visão impossível de tingir? A resposta é não!

A DINX vem estudando e modelando as necessidades das pequenas e médias empresas brasileiras nesses últimos anos e avaliando todas as variáveis de sucesso dos projetos implementados. Isso nos possibilitou a criação de uma metodologia para auxiliar e conduzir as empresas a entrarem na jornada da inovação e implementação 4.0.

A metodologia consiste em alguns pilares fundamentais que tangem todas as fases e variáveis de sucesso na implementação de novas tecnologias na produção das pequenas e médias empresas.

Se você deseja conhecer mais sobre as possibilidades de inovação que podem ser implementadas na sua empresa, e também, como podemos auxiliar você na conquistas de novos resultados, peça agora um contato de nosso Facilitador da Inovação.